segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Lucas, o médico amado

Sempre gostei do Lucas. Isso é engraçado porque um dos meus personagens bíblicos preferidos não é muito citado. Só existem três referências rápidas a ele no Novo Testamento. Mesmo assim, continuo a admira-lo. Lucas é autor do terceiro evangelho e do livro de Atos. No inicio do evangelho que leva seu nome, ele diz que não foi testemunha ocular dos fatos que escreveu. O evangelista entrevistou pessoas que viram as obras de Jesus Cristo. Com base nisso, decidiu escrever um evangelho contando os fatos da vida do nosso Salvador. Ultimamente venho estudando bem a história de Lucas. Pense em escrever um romance contando a história dele. Seria um privilégio ter Lucas como tema do meu primeiro romance publicado. Talvez alguma editora Cristã se interesse pelo livro (e peço que você orem para que isso aconteça). Baseado tudo o que eu estudei até agora, vou escrever um rápida biografia de Lucas. A Daniella, que gosta de biografias, deve gostar.

Nascimento e Adolescência

Lucas não era hebreu e sim gentio. Não há dados preciso sobre sua vida. Segundo a tradição, era natural de Antióquia (cidade situada hoje em território pertencente a Síria). Ele viveu no século I d.c., mas desconhecemos a data exata so seu nascimento e da sua morte. Na Adolescência, Lucas estudou artes e ciências. Particularmente retórica e medicina. Há quem afirme ter sido um hábil pintor. Paulo chama Lucas de médico amado e os versados em grego afirmam que o autor do evangelho de Lucas e do livro de Atos era alguém de uma cultura refinada.

O discípulo fiel

Depois de convertido ao cristianismo e tornou-se discípulo e amigo de Paulo de Tarso. Paulo o chamava de colaborador e de médico amado. Segundo o Atos dos Apóstolos e as Cartas de Paulo, Lucas acompanhou o apóstolo Paulo em sua segunda viagem missionária de Trôade a Filipos, onde permaneceu por seis anos seguintes. Depois novamente acompanhou Paulo, desta vez numa viagem de Filipos a Jerusalém (57-58) [9]. Também esteve presente na prisão do apóstolo em Cesaréia e o acompanhou até Roma [10] Com a execução do apóstolo e seu mestre (67), deixou Roma e, de acordo com a tradição cristã, enquanto escrevia seu Evangelho, teria pregado em Acaia, na Beócia e também na Bitínia, onde teria morrido (70).

Detalhes da sua vida

Lucas possuía sólida cultura cientifica e literária. Nunca se casou e nunca teve filhos. Escreveu o seu evangelho na língua grega. Possivelmente a pedido de Paulo (que pregava aos gregos). Lucas certamente conversou com a Maria (mãe de Jesus), Zaquel, Maria Madalena, e muitos outros personagens que só ele cita ou dá detalhes que os outros evangelistas passaram por cima.

Morte

A única "certeza" é que ele morreu com 84 anos.
Alguns manuscritos referem que Lucas morreu em Tebas, capital da Beócia no ano 70 d.c. São Jerônimo foi que afirmou essa hipótese. Já Nicéforo conta que o evangelista morreu mártir, vitima da perseguição dos romanos ao Cristianismo, tendo sido enforcado pelos pagãos. Alguns afirmam que ele foi martirizado em Patras. Outros dizem Roma. Outros ainda dizem que sua morte ocorreu na Bítinia.

Fontes que registram Lucas

A primeira referência a Lucas encontra-se em Filemon 1:24. É mencionado também em Colossenses 4:14. Por último, Paulo o cita em II Timótio 4:11. A segunda menção mais antiga a Lucas encontra-se no "Prólogo Anti-Marcionita ao Evangelho de São Lucas". É um documento que, apesar das controvérsias, é datado do século II. Diz o seguinte:
Lucas é um Sírio de Antioquia, Sírio pela raça, médico de profissão. Tornou-se discípulo dos apóstolos e mais tarde seguiu a Paulo até ao seu martírio. Tendo servido o Senhor com perseverança, solteiro e sem filhos, cheio da graça do Espírito Santo, morreu com 84 anos de idade.

2 comentários:

Daniella disse...

Que lindo! Adorei conhecer mais sobre o meu colega, e um dos personagens bíblicos que mais sonho conhecer! Lucas falava muito mais sobre as mulheres e os contatos e encontros de Jesus com elas exatamente porque não era judeu, e não tinha tantos preconceitos enraizados. Gostei mesmo Bruno, parabéns!

pb.Rodrigo conceição disse...

Lucas era grego e não sírio meu caro